17 de dez de 2010

SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO - HERMAN VOORWALD

O governador eleito anunciou hoje o nome de Herman Voorwald para a educação paulista a partir de janeiro.
Se pudesse fazer uma lista de três pedidos, igual na história do gênio, com toda certeza eu pediria:
1) Salário digno (isso inclui correção monetária, aumento salarial e dissídio);
2) Fim da progressão continuada (ou pelo menos a diminuição dos ciclos);
3) Revisão da legislação, garantindo que as escolas tenham professores (inclusive eventuais).


Será que é pedir muito?

Vou parar por aqui hoje, mesmo sabendo que essa lista poderia chegar facilmente em trinta itens.
Mas seria bobagem escrever tudo aqui, ele não vai ler mesmo.
E se ler, nem vai se importar.

Vida que segue.


3 comentários:

Augusta Sobreira disse...

MESMO QUE O NOVO SECRETARIO NÃO LEIA OS SEUS PEDIDOS QUE COM CERTEZA É DE TODOS QUE FAZEM A EDUCAÇÃO, MAS SEMPRE VALE APENAS ESTARMOS SEMPRE DANDO GRITOS DE INQUIETAÇÃO PELO DESCASO NA EDUCAÇÃO.

Profª Cida Rodrigues - Maua SP

Regina Prátici disse...

Ler com certeza ele não lerá , mas se cada professor , ou cidadão entrasse no site da educação e deixasse lá os seus pedidos , com certeza , traria um incômodo.Não é assim que as pessoas se mobilizam na era da informatica, pela internet.Vou entrar hj e mandar a minha mensagem, façam o mesmo e peçam para amigos tb. Bjs

Teka Castro disse...

Bom dia! cara educadora Hélida.
Assim, como seus sonhos são equivalentes aos de tantos educadores, e que sofrem abuso em salas de aulas, e discaradamente, pelos pais, pois hoje a educação mudou muito. Se o aluno se envolve com drogas, más companhias, a culpa recai sempre nos professores.Se ele é envolvido com o estudo, ele é o protagonista.
Ou seja, o governo, a sociedade, a família, só nos critica, dia a dia.
Isso, acaba nos transformando, talvez adoecendo, fazendo de nós meros marionetes governamentais.
Sem contar, que bonus, promoção salarial, dividiu mais ainda nossa classe.
Você, ou se preferir a Senhora é diretora de escola, e quantas diretoras, esquecem que já foram docentes, e já viveram por atribulações diversificadas em sala de aula. Hoje só exigem que o professor seja um acovardado para garantir seu bonus no mês de fevereiro. Sem contar que alguns diretores, dirigem a unidade escolar, por telefone, ou modernidade, email, twitter, etc.
Sem o corpo presente.
Como professora e escritora, tento eu melhorar,para poder ensinar melhor meus filhos, pois tenho um que é hiperativo, a escola pública, ou melhor, ninguém está preparado para ensinar um ser dotado de energia, e são poucos os que querem aprender a compartilhar e adquirir conhecimentos sobre qualquer tipo de inclusão, pois também nos foi jogado.
Sem contar das aulas de educação física, que hoje são dadas, dando uma bola ao aluno, sem um aquecimento, alongamento, movimentos anti-estresse...Mas, o cara sai de suas aulas, vai para uma academia, e faz de lá sim aulas diferenciadas. Qual seria o problema de ensinar bem nossos alunos a uma prática melhor?!!!
Como professora de Química, falta laboratório,sgurança, e enfim temos uns caderninhos para ensinar química, mas sem nenhuma noção do cotidiano.
Bem, parabéns por suas sábias palavras, e que possamos juntos mudar a educação em todas as formas.
Tereza Cristina
http://recantodasletras.uol.com.br/autores/terezacgmcastro
http://alegabema.blogspot.com
http://rebra.org.br biografias - tereza cristina gonçalves mendes castro
http://youtube.com/alegabema